Em

Judô do RN conquista quatro medalhas no Brasileiro Sub-15


O Rio Grande do Norte conquistou quatro medalhas no Campeonato Brasileiro Sub-15 de Judô e encerrou a competição em quinto lugar na classificação geral do masculino, neste final de semana, em Blumenau-SC. As conquistas potiguares vieram com João Gabriel Ramos, medalha de ouro na categoria ligeiro, Ana Beatriz Silva, prata no super ligeiro, Max Breno, bronze nos médios e José Alex Silva, bronze no super pesado.

João Gabriel conquistou a medalha de ouro na classe ligeiro e Ana Beatriz a medalha de prata no super ligeiro (foto/Divulgação)
João Gabriel conquistou a medalha de ouro na classe ligeiro e Ana Beatriz a medalha de prata no super ligeiro (foto/Divulgação)
Os atletas João Gabriel e Ana Beatriz conquistaram o direito de representar o judô potiguar nos Campeonatos Panamericano e Sul-Americano Sub-15. De acordo com o  presidente da Federação de Judô do Estado do Rio Grande do Norte (FJERN), Tibério Maribondo, os resultados obtidos na competição que reuniu 363 judocas de 17 estados brasileiros, são frutos do trabalho de renovação no quadro de atletas norte-riograndenses.
“Foram bons os resultados, pois além dos medalhistas também tivemos dois quinto lugares, mostrando que o trabalho desenvolvido pela FJERN com a nova geração de judocas está com a renovação garantida. Vamos agora focar na preparação para a fase nacional dos Jogos Escolares da Juventude em Natal, no mês de novembro, e continuar conquistando medalhas para o Rio Grande do Norte”, comentou Tibério.

Max Breno e José Alex conquistaram medalha de bronze no médio e super pesado (Foto/Divulgação)
Max Breno e José Alex conquistaram medalha de bronze no médio e super pesado (Foto/Divulgação)
O Campeonato Brasileiro Sub-15 é organizado pela Confederação Brasileira de Judô e contou com a ilustre presença do ministro do Esporte, Leandro Cruz que participou da cerimônia de abertura e em seu discurso elogiou a gestão do judô brasileiro, destacando a organização dos eventos nacionais e a boa gestão dos recursos públicos por parte da CBJ.
“A Confederação Brasileira de Judô é um exemplo de organização, de autofinanciamento, seja através da Lei de Incentivo, ou através das empresas privadas. Através da correta utilização dos recursos advindos das leis federais, a CBJ, mais uma vez, dá um exemplo neste sentido. As competições da CBJ são sempre esse primor de organização, impecável. A vocês, jovens atletas, árbitros e técnicos, a minha admiração por uma vida inteira dedicada ao judô”, disse Cruz.