Em

Halterofilistas potiguares brilham na II etapa nacional do Circuito Loterias Caixa

Rene Belcássia bateu recorde


1
Rene Belcássia bateu recorde (CPB)

Começou nesta sexta-feira, 15, em São Paulo, a segunda etapa nacional do Circuito Loterias Caixa de atletismo, natação e halterofilismo. Os levantadores de peso foram os responsáveis pela abertura do evento, com as disputas da categoria feminina leve e masculina até 49kg e até 54kg. O Circuito se estende até domingo, 17, e será realizado no novo Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro.

As provas de halterofilismo, aliás, inauguraram o Ginásio Multiuso, que é climatizado, comporta 500 espectadores nas arquibancadas e é composto por áreas para treino e competições de vôlei sentado, rugby em cadeira de rodas, basquete em cadeira de rodas e futebol de 5. E já na primeira competição na nova instalação, dois recordes brasileiros foram quebrados. Entre os homens, Bruno Carra, classificado para os Jogos Paralímpicos, aumentou para 176kg a melhor marca do país na divisão até 59kg.

“Gostei muito do desempenho. Subi o recorde em oito quilos e cheguei perto de uma marca que ficaria muito próxima a uma medalha nos Jogos. Fomos além do peso que esperávamos e com certeza esse recorde quebrado duas vezes me deixa mais confiante para os próximos meses”, disse Bruno, campeão da divisão. A prata ficou com Luciano Dantas, com 141kg, e o bronze foi para Alexandre Gouvea, com 132kg.

A outra prova da tarde, entre atletas com até 65kg, foi vencida pelo egípcio Othman Sherief, um mito na modalidade, que levantou 211kg. Em segundo lugar ficou o chileno Juan Carlos Garrido, com 185kg. O bronze foi para André Luís Réquia, com 118kg.

Na parte da manhã, a atleta potiguar Rene Belcássia, em sua estreia na divisão até 55kg, levantou 78kg e superou em dois quilos o antigo recorde da categoria. “Fico feliz por ter ido bem neste novo peso. E deixar o primeiro recorde aqui também é importante”, contou Rene, que ficou com a medalha de bronze – a prova teve unificação de três divisões e foi decidida pelo coeficiente AH, que leva em consideração o peso corporal do atleta e a carga levantada na barra.

Além da prova feminina, que teve como campeã a chilena Camila Domínguez, com 94kg, seguida pela medalhista de prata, a norte-riograndense Maria Luzineide, com 83kg, e Rene Belcássia. Entre os homens com até 49kg, o pódio foi formado por Josenildo da Silva, com 115kg, Ailton da Silva, com 102kg, e Lucas Barbosa, com 50kg. Na divisão até 54kg, o campeão foi Francielio Ferreira, com 107kg. Com a prata ficou Dorival de Jesus, com 105kg. Completou o pódio Erinaldo Lima, com os mesmos 105kg. O peso corporal foi o fator de desempate (Dorival era mais leve).

Para o coordenador do halterofilismo junto ao Comitê Paralímpico Brasileiro, Felipe Dias, é empolgante ter competições na estrutura do CT. “Vamos usar o espaço para treinos, intercâmbios, aclimatações e também de competições. Aqui tem tudo que o atleta precisa e receber uma etapa do Circuito a menos de dois meses antes dos Jogos Paralímpicos neste local é uma grande oportunidade para conhecerem e competirem em uma área tão boa quanto o local de competições dos Jogos. Tenho certeza que isso, somado à presença de atletas estrangeiros, deixou todos animados”, resumiu Felipe Dias.

A partir deste sábado, o CT recebe também as competições de atletismo e natação. Estas duas modalidades, por sua vez, terão caráter decisivo. Ambas têm no evento deste fim de semana a última chance de os atletas obterem marcas que os classifiquem para a disputa dos Jogos Rio 2016.

Na natação, o Brasil será representado por 32 atletas – 19 homens e 13 mulheres. A alocação das vagas foi feita pelo Comitê Paralímpico Internacional. O Rio 2016 marcará a primeira vez que o CPB levará uma equipe deste tamanho na modalidade. Antes, o número máximo de nadadores que o Brasil havia levado aos Jogos era de 24, em Pequim 2008.

A equipe de atletismo será ainda maior. Foram alocadas 61 vagas para brasileiros, sendo 37 homens e 24 mulheres. Responsável por 18 medalhas (sete ouros, oito pratas e três bronzes) nos Jogos de Londres 2012, a delegação será também fechada após o evento que ocorrerá na pista do Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

Com CPB