Em

Joana Neves comemora convocação e promete pódio nas Paralimpíadas


A convocação para os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro foi bastante comemorada por Joana Neves, na última terça-feira (19). A nadadora potiguar que também disputou as Paralimpíadas de Londres, em 2012, promete subir ao pódio nos jogos do Brasil. “Eu já tinha quase certeza que seria convocada, faltava só sair a lista. É uma sensação muito boa. Todo atleta quer ser convocado para as Paralimpíadas”, contou.

Peixinha potiguar vai disputar os 50m, 100m, 200m livres, além dos 50m borboleta e do revezamento 4x50 misto
Peixinha potiguar vai disputar os 50m, 100m, 200m livres, além dos 50m borboleta e do revezamento 4×50 misto

Na edição deste ano, ela vai disputar os 50m, 100m, 200m livres, além dos 50m borboleta nas provas individuais. Joana ainda vai nadar no revezamento 4x50m misto. Com tantas disputas na agenda paralímpica, a Peixinha afirma que vai trazer pelo menos uma medalha na bagagem de retorno a Natal.  “A chance de medalha é de 98%. Os outros 2% são quando ela estiver no meu pescoço. A maior possibilidade é nos 50m livres”, assegurou.

Preparação

Nos últimos dias 16 e 17, Joana Neves participou da 2ª etapa do Circuito Loterias Caixa, em São Paulo, e faturou dois ouros – nos 50m e 100m livres. A nadadora garante que vai melhorar os tempos para chegar ainda mais forte no Rio de Janeiro.

“Os tempos em São Paulo foram 70% do que eu precisava. Até as paralimpíadas, eu vou ter tempo para melhorar”, avaliou.

Perfil

Joana Maria Jaciara da Silva Neves nasceu em 14 de fevereiro de 1987, em Natal/RN, e com apenas 1 ano e 6 meses de vida teve acondroplasia, uma anormalidade na ossificação das cartilagens que causa nanismo.

Joana começou a praticar natação aos 12 anos por recomendação médica e, aos 13, a competir, participando da primeira competição internacional em Mar Del Plata, na Argentina. Em Londres-2012, defendeu o Brasil pela primeira vez em uma edição dos Jogos Paralímpicos.

No início de junho, ela conquistou três medalhas de ouro no Aberto de Berlim. Em 2015, ela conseguiu três medalhas no Mundial de Glasgow, na Escócia, e outras cinco nos Jogos Parapan-Americanos, em Toronto, no Canadá.

Fonte e foto: Assessoria de Imprensa