Em

Potiguar foca na conquista da vaga para Jogos Parapan-Americanos


Carnaval? Ela até curtiu, mas a prioridade continuou sendo os treinos. Ana Raquel Montenegro, atleta de paraciclismo da Sadef – Sociedade Amigos do Deficiente Físico do RN, está com o foco totalmente voltado para a conquista de uma vaga para o Parapan-Americano, que acontece em agosto, no Peru. “O Brasil tem 5 vagas asseguradas, e estou na briga por uma delas. Por isso, 2019 vai ser um ano de calendário cheio, para ganhar ainda mais experiência”, diz a atleta.

Nesta sexta, 8, ela embarca para a segunda competição da temporada, o GP Jataí de Ciclismo, em Goiás. O diferencial dessa disputa é que ela vai competir em duas categorias, entre elas a Elite Feminina, com atletas sem qualquer deficiência. Ana Raquel nasceu com a Síndrome de Poland, que é rara, afeta a região torácica e é caracterizada pelo subdesenvolvimento ou ausência do músculo peitoral. Em alguns casos, como o dela, provoca sindactilia nas mãos, que é quando os ossos ou membranas dos dedos estão unidos.

Nesse primeiro ano no ciclismo, Ana Raquel já subiu ao pódio na Copa Brasil, foi prata. (Foto/Divulgação)
Nesse primeiro ano no ciclismo, Ana Raquel já subiu ao pódio na Copa Brasil, foi prata. (Foto/Divulgação)

Na categoria PCD (Pessoa com Deficiência), ela vai competir junto aos homens, porque não tem concorrentes inscritas. “Vai ser uma excelente oportunidade de ganhar experiência e melhorar minhas marcas, sendo ‘puxada’ por adversários com um nível mais elevado”, avalia.

No mês passado, Ana Raquel disputou a 1ª etapa da Copa Brasil de Paraciclismo, no Paraná, e ficou com a segunda colocação nas provas de Resistência e Contrarrelógio. “O clima estava muito seco, foram provas bem difíceis. Em abril, acontece a segunda das 3 etapas, em Brasília, e também estarei lá. A Copa Brasil é uma competição importante, e que conta pontos para o ranking que define as vagas para o Peru”, diz ela.