Em

Potiguares se destacam nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens


 

As medalhas conquistadas pelos atletas potiguares ajudaram o Brasil a vencer os Jogos Parapan-Americanos de Jovens 2017, disputados entre os dias 20 e 25 de março, em São Paulo. Das 139 medalhas conquistadas pela delegação brasileira (66 de ouro, 41 de prata e 32 de bronze), os representantes do Rio Grande do Norte tiveram participação em quatro pódios.

No goalball, o time feminino do Brasil foi medalha de ouro com as atletas Amanda Emilly Fernandes (IERC), Geovana Moura (ADEVIRN). Na disputa do judô, Pablo Cruz (ADEVIRN) e Rosicleide Silva (ADEBIRN) conquistaram medalha de prata, enquanto no basquete de cadeira de rodas, o Rio Grande do Norte esteve representado por  Reyson Douglas da Silva (América Tigres) na conquista do ouro.

Amanda (E) e Geovana (segunda da direita pra esquerda) brilharam no time feminino do Brasil de goalball (Foto/Divulgação)
Amanda (E) e Geovana (segunda da direita pra esquerda) brilharam no time feminino do Brasil de goalball (Foto/Divulgação)

Para o coordenador do paradesporto da Secretaria de Estado do Esporte e do Lazer (SEEL), Tibério Maribondo, a revelação de jovens atletas deve-se as políticas públicas do Governo do Estado. “O nível do paradesporto mundial vem aumentando a cada ano, mas o Rio Grande do Norte, graças aos projetos de incentivo à prática do esporte, segue o mesmo caminho na evolução e revelação de atletas mais jovens. As medalhas conquistadas por eles mostram a qualidade das novas promessas que temos aqui e do excelente trabalho que vem sendo feito pelo Estado, através da SEEL”, afirmou Tibério.

A delegação brasileira contou com vários potiguares. Além de Amanda, Geovana, Reyson, Pablo e Rosicleide, também foram convocados Edmundo Felipe de Melo (APARN) e Matheus Bezerra (ANDE) para a modalidade da bocha. Na comissão técnica fizeram parte Tibério Maribondo (coordenador do judô), Roberto Vital (coordenador médico do CPB), Elys Costa (arbitragem), Francisca da Silva, Alanni Ferreira e Adeílton Dantas (enfermeiros) e Adriano Ferreira (fisioterapeuta).

Coordenador médico do CPB, Dr. Roberto Vital, acompanhou o ouro conquistado pela equipe masculina de futebol 5 (Foto/Divulgação)
Coordenador médico do CPB, Dr. Roberto Vital, acompanhou o ouro conquistado pela equipe masculina de futebol 5 (Foto/Divulgação)

O Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro abrigou 11 modalidades (atletismo, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, judô, halterofilismo, vôlei sentado, natação, tênis de mesa e basquete em cadeira de rodas). Em segundo lugar ficou a Colômbia, com 47 medalhas de ouro, 38 de prata e 24 de bronze, seguida pela Argentina, com 22 de ouro, 30 de prata e 16 de bronze.