Em

Jadson André vence 2ª etapa do CBSurf Pro Tour


Um evento para ficar marcado. Em grande fase, o potiguar Jadson André repetiu a vitória na 2ª etapa do CBSurf Pro Tour – Prefeitura de São Sebastião apresenta Maresia Pro SP 2018, neste domingo (12), na Praia de Maresias, no litoral norte de SP. Na feminina, a catarinense Tainá Hinckel, um dos grandes talentos da nova geração, garantiu a sua primeira vitória em campeonato profissional.

Potiguar comemora a vitória e a liderança do campeonato (Foto/Aleko Stergiou)
Potiguar comemora a vitória e a liderança do campeonato (Foto/Aleko Stergiou)

Pelas vitórias, cada um recebeu R$ 10 mil, de um total de R$ 80 mil distribuídos aos melhores no evento, que começou sexta-feira e teve ondas desafiadoras de até três metros no sábado. No total, foram 128 atletas de dez estados e grandes disputas nas ondas de Maresias. Além da sequência da disputa pelos títulos brasileiros, a competição definiu a seleção para o ISA World Surfing Games, em Tahara, no Japão, no mês de setembro.

Na primeira final, a masculina, Weslley abriu com um 6,33. Jadson arriscou várias vezes. Tentou aéreo e até tubo, errando as manobras. Deivid Silva começou com um 7,93 e depois um 6,97, assumindo a ponta. Mas o líder do ranking, enfrentando três paulistas, voltou a surfar bem, garantiu a melhor onda da final, numa esquerda, com 8,33 pontos e depois virou o placar com um 6,9.

Deivid ainda tentou reverter, mas a comemoração foi mesmo do potiguar, que esperou o anúncio do resultado pelo locutor Paulo Issa, ajoelhado na beira da praia e depois foi abraçado pelos amigos. “Tinha certeza de que seria muito difícil, mas meu pensamento era de fazer um excelente campeonato. As coisas foram acontecendo, fui ganhando ritmo durante o evento”, contou.

“Comecei a final toda errada. Caí em todas as ondas. Comecei há pouco tempo um trabalho de mentalização e respiração e era tudo que eu pensava. Respira, relaxa, que se não mandar oxigênio novo para o cérebro não vai funcionar. Veio aquela esquerda muito boa e deu tudo certo”, comemorou Jadson, agradecendo seu técnico, Danilo Costa, os patrocinadores, a namorada e familiares.

Com a nova vitória, ele abriu boa vantagem sobre o segundo colocado o paulista Geovane Ferreira, que também fez um bom campeonato e parou na semifinal. O líder soma 2 mil pontos, contra 1.415 do segundo. “Com sempre falei, tenho dois objetivos: voltar para a elite mundial e ser campeão brasileiro. Foi um passo gigante, mas sei que ainda tem muita coisa para acontecer. Mas ter duas vitórias dá uma confiança maior”, falou.

“Nas próximas etapas, quero manter a confiança e ir até mais forte”, complementou o vencedor, aproveitando para elogiar o novo Circuito Brasileiro e demonstrar a satisfação com a chance de chegar ao título. “Está alucinante, incrível, animal. É um ciclo novo que estamos vivendo no Brasil, muito importante e fico feliz. Às vezes você não entende porque algumas coisas acontecem. Caí do WCT, posso disputar o título brasileiro e estou surfando como se estivesse disputando o título mundial”, vibrou.

Atualmente, Jadson é o quinto no ranking mundial QS e, justamente por estar muito bem na classificação, e também ter como objetivo a volta ao WCT, optou por abrir mão da vaga para o ISA Games, para se concentrar nos próximos compromissos. Assim, o paulista Marcos Corrêa (terceiro no ranking) se juntará a Geovane Ferreira (vice-líder) para integrar o time, junto com Ian Gouveia, convidado da CBSurf.

Na feminina, as três primeiras do ranking foram convocadas – Larissa dos Santos, a potiguar Gil Ferreira e a carioca (que até ano passado morava na Austrália), Anne dos Santos, que também integrará a seleção no ISA Júnior, na Califórnia. Tainá chegou perto da vaga com a vitória, ficando a apenas 60 pontos. Na final, ela foi superior toda a bateria. Abriu com 6,67 e depois confirmou a vitória com uma nota no critério excelente – 8,83.